segunda-feira, 4 de maio de 2015

Cinco jogadoras não fazem mais parte do grupo do Uninassau/América


1


Como era esperado após o fim da Liga de Basquete Feminino (LBF), algumas jogadoras
 deixaram o grupo do Uninassau/América. Além das saídas esperadas das atletas que atuam na WNBA, Tiffany Hayes e Tamera Young, foram dispensadas a pivô Nádia, a ala-pivô Iza e a pivô norte-americana Sandora Irvin. Nenhuma delas volta para a próxima temporada do Mequinha na LBF.
A decisão foi tomada agora há pouco, durante reunião da comissão técnica. “É uma questão renovação, tentar novas jogadoras. É o mesmo que aconteceu no ano passado com a Fran. Hoje, ela está de volta (depois de atuar em Brasília). Com a saída das cinco jogadoras, tivemos uma redução de custos de R$ 100 mil, principalmente por conta das americanas”, explicou o técnico Roberto Dornelas.
Sobre Iza e Nádia, o treinador desejou sucesso. Segundo ele, o rendimento na fase final ficou a desejar. “Achamos que não renderam o suficiente dentro de um sistema que a gente adotou. E vamos tentar outras. Elas são queridas, meninas de ouro. É o momento de ir para uma equipe onde possam ser protagonistas e desenvolver o basquete
que têm. Aqui não conseguiram.”
Ainda durante a LBF, o Uninassau/América contratou a pivô Fran (ex-Sport e Brasília) e a lateral Rafaela Monteiro (ex-Sport). “Temos ainda no elenco Adrianinha, Tainá, Tati, Érika, Fran, Rafaela Monteiro e Nicolle. Temos ainda uma equipe de respeito. Vamos ver como vai ser o desenrolar do ano para definir sobre contratações”, afirmou Roberto.

Fonte: jc.com.br

sexta-feira, 1 de maio de 2015

São Bernardo vence seus dois primeiros jogos na Série A2

Foto da estreia

Basquetebol feminino do XV perde fora de casa

Equipe foi derrotada na segunda rodada do Campeonato Paulista

O elenco adulto feminino de basquetebol do XV/Unimep/Amhpla/Selam perdeu o confronto diante do São Bernardo do Campo pelo placar de 73x58 (39x24 no primeiro tempo) em partida válida pela segunda rodada do Campeonato Estadual da Divisão Especial Série A-2 Feminina.

Na partida disputada na tarde de sexta-feira, dia 01 de maio, no CREC “Ubaldo Lago, o Baetinha”, em São Bernardo do Campo, a equipe quinzista do técnico Ariel Rodrigues teve dificuldades para segurar o ataque adversário e controlar a partida. Com o apoio da torcida, o São Bernardo foi melhor, principalmente no primeiro quarto, quando abriu diferença de quinze pontos.

Com a vantagem a favor das donas da casa, o elenco piracicabano não conseguiu reagir e seguiu em desvantagem numérica até o apito final.

De acordo com o técnico Ariel Rodrigues, a equipe de São Bernardo do Campo conta com jogadoras altas e fortes, principalmente quando atua em seus domínios. “O time piracicabano entrou desatento no primeiro quarto e depois fica tudo mais difícil no decorrer da partida.” – ressalta Ariel.

Com o resultado no Grande ABC, a equipe piracicabana segue com uma vitória e uma derrota na fase de classificação.

A próxima apresentação do basquetebol adulto feminino do XV/Unimep/Amhpla/Selam será no dia 13 de maio, em partida que acontece na cidade de Osasco contra ADC Bradesco, a partir das 19h. O confronto será realizado no Centro de Desenvolvimento Esportivo, em Osasco.

Klaudinha comemora vitória na estreia do São Bernardo no Paulista

O ADC São Bernardo começou bem sua caminhada na Série A2 do Campeonato Paulista Feminino de Basquete. Em casa, a equipe comandada pelo técnico Márcio Bellicieri venceu o ADC Bradesco, de Osasco, por 74 x 36 (30 x 18).

Um dos destaques da equipe, com oito pontos marcados, três rebotes e três assistências, a ala-armadora Klaudinha, que também fez sua estreia pelo time de São Bernardo do Campo, comemorou o resultado, que dá moral para a sequência da competição.

“Foi um bom jogo. Como em toda estreia, ficamos um pouco nervosas no início, mas aos poucos tudo fluiu e o time conseguiu confirmar a vitória, fundamental para que possamos trabalhar durante a semana já visando a segunda rodada”, afirmou.

O próximo duelo do São Bernardo será sexta-feira (1), às 16h, novamente em São Bernardo do Campo, diante doXV/Unimep/Amhpla/Selam, de Piracaciba.

Entrevista–Antônio Carlos Vandramini (CBB)

ADCF Unimed/Americana x Uninassau/América - A ADCF Unimed/Americana deixou tudo igual na série melhor-de-três do playoff – final da Liga de Basquete Feminino (LBF) – 2014/15 ao derrotar o Uninassau/América, neste sábado (25 de abril), por 78 a 73 (38 a 34 no primeiro tempo), em jogo realizado no ginásio Municipal Centro Cívico, na cidade de Americana (SP), válido pela segunda rodada - Brasil - sp - Americana -  -  - www.inovafoto.com.br - id:89445

Na última segunda-feira (dia 27), a ADCF Unimed/Americana conquistou o segundo título consecutivo, o terceiro na história da Liga de Basquete Feminino (LBF), ao derrotar na final o Uninassau/América (PE) por 79 a 77. O responsável por manter a equipe paulista no topo da competição foi o técnico Antônio Carlos Vendramini, de 64 anos. Campeão do primeiro Nacional Feminino, com o Fluminense, em 1998, Vendra, como é conhecido, chegou a 12 títulos nacionais na vitoriosa carreira. Com passagem pela Seleção Brasileira Feminina, sendo campeão do Sul-Americano do Chile, em 1989, o treinador falou sobre a mais recente conquista.
O que representou essa nova conquista com a equipe de Americana?
Apesar da experiência de ter conquistado muitos títulos nacionais, cada um tem algo especial. Tivemos alguns problemas nesta temporada, mas todos se uniram em prol da equipe. Essa conquista mostrou a força da diretoria, da comissão técnica e das jogadoras. Foi uma vitória do coletivo. Tínhamos um adversário de alto nível, mas tivemos um trabalho árduo, com muito treinamento e união do grupo.
Você conta com muitos talentos individuais, mas pelo visto o coletivo foi o mais importante?
Sem dúvida. O basquete é uma modalidade coletiva, mas não privamos nossas atletas de suas qualidades individuais. Só que os destaques individuais trabalham em prol do conjunto. Conseguir isso é mérito das jogadoras e da comissão técnica. Individualmente, temos grandes atletas, mas isso não bastaria para a conquista. Conquista essa que faço questão de frisar que foi valorizada pela qualidade do adversário.
E o que representa o bicampeonato consecutivo com Americana?
É algo especial. Um trabalho que começou na última temporada e segue dando frutos. Pelas finais neste ano, deu para notar o tanto que a torcida está com a equipe. A quadra estava lotada, com muitos torcedores do lado de fora. Essa conquista mostrou o carinho da torcida com a equipe. Nos momentos difíceis, nossos torcedores carregaram o time no colo. Nada mais justo do que dedicar a eles esse título.
Faltando 5s para o fim do jogo, América teve um tempo técnico com Americana vencendo por quatro pontos. Fale sobre esse momento.
Pedi calma para algumas jogadoras que já estavam comemorando, pois aquilo poderia comprometer nossa vitória. Mas quando olhei para o placar e vi a diferença de pontos, vi que o América não conseguiria nos alcançar. Não havia tempo suficiente para baterem um fundo bola, irem ao ataque, fazerem a cesta e terem um novo ataque. Mas volto a reiterar a qualidade do América. Depois do jogo, conversei com o Dornelas (Roberto, técnico do América) e falei que a oportunidade tinha vindo para o nosso lado, mas que poderia ter ido para o dele.
Americana disputou 23 jogos na LBF 2014/2015 e venceu 21. Foram apenas duas derrotas, ambas para o América, sendo uma na fase de classificação e outra na primeira partida da final. Você esperava essa campanha quase perfeita?
Tememos um pouco no meio da competição, pois tivemos atuações abaixo do esperado. Nossa elenco é forte pelo conjunto e a comissão técnica precisou realizar reuniões com o grupo. Conseguimos passar que somente somos fortes com o coletivo. Temos um grupo muito bom e elas entenderam isso. Conversamos e a equipe respondeu prontamente.
Americana terminou a LBF invicta em casa, com 13 vitórias. Fale sobre o desempenho no ginásio Municipal Centro Cívico.
Nosso desempenho em casa foi fundamental para a conquista. Não só na fase de classificação como também nos playoffs, em que tivemos a vantagem de jogar mais vezes no nosso ginásio. E contamos sempre como apoio da torcida. Não só em dia de jogo. Essa relação é no dia a dia, pelas redes sociais, na interação entre torcedores e jogadoras. E quando sabiam das nossas dificuldades, a torcida tentava ajudar de alguma maneira. Isso fez a equipe crescer, ajudou a trazer confiança.
Nestes dois títulos da LBF, em 2014 e 2015, Americana perdeu apenas uma partida nos playoffs – para o América no primeiro jogo da final este ano. Esperava esse desempenho?
Costumo dizer que um campeonato não se ganha só nos playoffs. Se ganha quando você monta o grupo de trabalho para a temporada e fica preparado para as dificuldades que virão pela frente. A maioria das jogadoras estava conosco na última temporada e já sabia como eu gosto de jogar. Montamos uma comissão técnica quase perfeita e distribuímos bem as funções.
Como você avalia o desempenho das jogadoras, sobretudo as da Seleção?
Particularmente, a Damiris e a Clarissa tiveram um crescimento nas duas últimas temporadas a olhos vistos. Todo mundo elogiou e comentou sobre isso. Elas são duas jogadoras que se dedicam ao basquete de corpo e alma. Ambas começam a trabalhar antes e depois do horário do treino. Nenhuma outra jogadora brasileira teve um crescimento tão grande nos últimos anos como a Damiris.
A Clarissa e a Damiris vão jogar na WNBA, nos Estados Unidos. O quão é importante esse momento na carreira delas?
Muito importante. O confronto com jogadoras de grande nível ajuda bastante no desenvolvimento. Vai somar para a carreira das duas e vão aproveitar ao máximo isso. Vão brigar para ganhar espaço e destaque. Quem ganha com isso é a Seleção Brasileira. Da mesma maneira que a vinda de estrangeiras para o Brasil também é importante, pois obriga a brasileira a crescer o seu jogo.
Você foi campeão do primeiro Nacional Feminino, em 1998, com o Fluminense. Como foi essa conquista?
Eu era técnico em Americana, mas ficamos sem o patrocinador e não tínhamos como disputar o Nacional. Acabamos vindo para o Fluminense que, naquela época, estava com o futebol na Terceira Divisão do Campeonato Brasileiro. Chegamos devagar, aos poucos começamos a ganhar e a quadra começou a encher. Acabou que fizemos um baita campeonato. Na final, enfrentamos o Osasco/BCN, da Maria Helena Cardoso. Foi uma conquista maravilhosa.
Quais os planos para a próxima temporada?
No final de maio teremos a primeira fase do Campeonato Sul-Americano de Clubes, no Equador. Tenho que encontrar duas jogadoras para substituir a Clarissa e a Damiris. Para a próxima temporada, ainda é cedo para definições. A diretoria quer que eu continue e a maioria das jogadoras deve ficar.
Qual avaliação você faz da sua carreira?
Sou um privilegiado. Eu era jogador e me tornei técnico em Oswaldo Cruz porque o técnico tinha saído e eu acabei assumindo. Depois recebi o convite da Prudentina. Aceitei ser treinador no alto rendimento e virou uma carreira de conquistas. Trabalhei por uma década com a Hortência. Sempre fui convidado para grandes projetos. Conquistei 12 títulos nacionais e 12 paulistas. Também ganhei o paranaense e o carioca. Fico feliz com o que fiz no basquete. Sou um técnico reconhecido e continuo ganhando. Estava fora do basquete quando vim para Americana e houve desconfiança. Mas ganhamos diversos títulos. Enquanto eu achar que estou sendo útil, e minha autocrítica é severa, continuarei sendo treinador.

Tricampeãs da LBF desfilam por ruas e avenidas de Americana

ADCF Unimed - Desfile das tricampeãs - Foto Wado PellizoniADCF Unimed - Desfile das tricampeãs - Trecho da Avenida CillosDr Emerson Assis e Karla Costa - Foto Wado Pellizoni

Tricampeãs da LBF (Liga de Basquete Feminino), as jogadoras e a comissão técnica da ADCF Unimed desfilaram em carro aberto por ruas e avenidas de Americana, no final da manhã desta quarta-feira (29), recebendo aplausos e carinho da população.

A carreata teve início no complexo poliesportivo do Centro Cívico, no Jardim da Colina, onde a equipe disputa seus jogos, e terminou na sede administrativa da Unimed local, principal patrocinador da modalidade, na Vila Medon. A capitã Karla Costa entregou o troféu da edição 2014/15 ao médico Émerson Assis, presidente da cooperativa médica.

As jogadoras e a comissão técnica da ADCF Unimed, agora, terão descanso de duas semanas. A reapresentação está marcada para o dia 11 de maio, quando será iniciada a preparação para a primeira fase do Campeonato Sul-Americano de Clubes, que terá disputa de quadrangulares em três países.

As tricampeãs da LBF estão no Grupo B com sede em Milagro, no Equador, e os jogos serão entre os dias 29 e 31 do próximo mês. Além da ADCF Unimed, o grupo conta com representantes do Equador (Uruguay Basket), Bolívia (Boliívia Basket) e Chile (Leones de Quilpué). Os dois primeiros colocados de cada grupo classificam-se para a fase final do Sul-Americano, prevista para outubro, também no Equador.

segunda-feira, 27 de abril de 2015

ADCF Unimed/Americana derrota o Uninassau/América em casa e garante o título da Liga de Basquete Feminino (LBF) – 2014/15



A ADCF Unimed/Americana garantiu a conquista do título da Liga de Basquete Feminino (LBF) – 2014/15 ao derrotar o Uninassau/América, nesta segunda-feira (27 de abril), atuando no ginásio Municipal Centro Cívico, na cidade de Americana (SP), por 79 a 77 (38 a 40 no primeiro tempo), em duelo extremamente emocionante e bastante disputado. Com a vitória, o time comandado pelo técnico Antônio Carlos Vendramini fechou a disputa final com duas vitórias e uma derrota.
O jogo começou em ritmo intenso, com a equipe da casa contagiada pelo seu participativo torcedor, que lotou as dependências do ginásio, e logo abrindo vantagem, com boa variação ofensiva, ora no trabalho de garrafão, ora nas bolas de média e longa distancia. Na sequencia do quarto inicial, aos poucos, o time pernambucano foi se acertando, baixando a diferença e deixando o jogo igual, com bom jogo de garrafão e transição (21 a 18).
No segundo, o panorama seguiu o mesmo da parte final do período anterior, com os dois times lutando bastante pelo resultado e, por isso, se alternando no comando do marcador. Em seguida, o representante pernambucano conseguiu um rendimento melhor e conseguiu a virada (17 a 22).
Na volta do intervalo, as duas equipes seguiram lutando bastante pelo resultado positivo, proporcionando várias alternâncias no comando do jogo, o que deixou a disputa cada vez mais intensa e eletrizante. Na parte final, o time da casa conseguiu brecar o ataque adversário e fechou o período na frente (23 a 14).
Nos dez minutos finais, o ritmo seguiu acelerado, com os dois times alternando lances positivos e negativos, com isso, o equilíbrio e a emoção permaneceram até o final. Com esse panorama, a ADCF Unimed/Americana conseguiu um melhor aproveitamento no momento derradeiro da partida e garantiu a conquista do título, o segundo consecutivo e o seu terceiro da Liga de Basquete Feminino (18 a 23).
Os principais nomes da partida foram a cubana Ariadna Felipe (17 pontos, 05 rebotes e 01 assistência), Damiris do Amaral (16 pontos, 08 rebotes e 02 assistências) e Clarissa dos Santos (10 pontos e 03 rebotes), pelo time paulista; Erika de Souza (23 pontos, 18 rebotes e 01 assistência – double-double), as norte-americanas Tiffany Hayes (22 pontos,06 rebotes e 02 assistências) e Tamera Young (16 pontos, 03 rebotes e 03 assistências), em favor da agremiação pernambucana.
“Esse título veio coroar todo o nosso trabalho árduo ao longo da temporada, quando não tivemos feriados e nem datas comemorativas, pois treinamos. Passamos por momentos complicados ao longo da temporada, mas não deixamos de acreditar”, comenta a ala/armadora Karla Costa, da ADCF Unimed/Americana.
“Temos que agradecer muito aos nossos patrocinadores, Unimed e Vivo Sabor, pois eles acolheram a equipe passou por momentos ruins no meio da temporada. Por isso, esse título tem um sabor muito especial. Além disso, temos que agradecer muito os nossos torcedores, que sempre estiveram ao nosso lado”, acrescente o técnico Antônio Carlos Vendramini, também da equipe paulista.
“Isso aqui é uma família e muito unida. Tivemos superação, força de vontade e determinação para chegar a esta maravilhosa conquista”, completa a armadora Joice Coelho, do representante de Americana.
“Saímos da competição de cabeça erguida, já que fizemos uma grande campanha, assim como o time de Americana, que teve seus méritos para chegar ao título. Vamos seguir com o nosso projeto, almejando chegar à outra final na temporada seguinte”, analisa o técnico Roberto Dornelas, do Uninassau/América.
Os resultados dos confrontos anteriores foram estes: 74 a 67, em favor do Uninassau/América, em Recife (PE), e 78 a 73, em favor da ADCF Unimed/Americana, em Americana (SP).
Premiações individuais
Melhor Jogadora: Clarissa dos Santos (ADCF Unimed/Americana)
Melhor Técnico: Antônio Carlos Vendramini (ADCF Unimed/Americana)
Atleta Revelação: Tássia Carcavalli (Basketball Santo André/APABA)
Líder em Rebotes: Clarissa dos Santos (ADCF Unimed/Americana)
Líder em Assistências: Natália Burian (Presidente Venceslau)
Cestinha: Iziane Castro (Maranhão Basquete)

ADCF Unimed bate América e é tricampeã da LBF




A ADCF Unimed confirmou sua supremacia no basquete feminino brasileiro e sagrou-se tricampeã da LBF ao derrotar o América por 79 a 77 (parcial de 38 a 40), na noite desta segunda-feira (27), no Ginásio de Esportes Mario Antonucci, no complexo do Centro Cívico. Foi o terceiro jogo do playoff final e a equipe de Americana, de virada, fechou a série em 2 a 1.

Em cinco edições da Liga de Basquete Feminino, a ADCF Unimed foi campeã nas temporadas 2011/12, 2013/14 e 2014/15, e vice uma em 2012/13. "Michael Jordan sempre disse que talento ganha jogo, mas o que ganha campeonato é a equipe. O nosso jogo coletivo é muito forte. Nos momentos cruciais, nossas jogadoras sabem o que fazer", avaliou o técnico Antônio Carlos Vendramini. "A ressaltar também o trabalho da nossa diretoria, que foi atuante e segurou o projeto quando ficamos sem a Lei de Incentivo", acrescentou o experiente treinador, referindo-se ao repasse de imposto, conforme lei municipal, que deixou de ser feito pela prefeitura de Americana em abril do ano passado.

Apoiada por mais de dois mil torcedores, que lotaram o Ginásio Mario Antonucci, a ADCF Unimed fez bom jogo e manteve-se à frente do placar a maior parte do tempo. O momento de maior instabilidade da equipe de Americana foi no segundo quarto, quando o América aproveitou-se para virar o primeiro tempo com vantagem de dois pontos (40 a 38).

A ADCF Unimed recuperou-se no terceiro quarto, seu melhor período, e reassumiu a ponta. No último quarto, a equipe de Vendramini controlou as ações e abriu sete pontos a 30 segundos do final. A partir daí, foi só esperar o cronômetro zerar para começar a festa do tricampeonato.

"Foi um jogo nervoso, mas conseguimos impor nosso basquete. Tivemos uma situação menos favorável no segundo quarto, mas logo o time voltou a mostrar a consistência e mereceu a vitória", afirmou Vendramini.
Com 17 pontos, a lateral Ariadna Felipe foi a cestinha da ADCF Unimed no jogo desta segunda-feira. Além dela, também pontuaram as laterais Patrícia Chuca (9), Karla Costa (6) e Palmira Marçal (6), as armadoras Babi Honório (9) e Joice Rodrigues (4), e as pivôs Damiris Dantas (16), Clarissa Santos (10) e Gil Justino (2).
Além do técnico Antônio Carlos Vendramini, a comissão técnica da ADCF Unimed é composta também pelo assistente técnico Virgil Lopez, o preparador físico Clóvis Haddad (Vita), a coordenadora Adriana Santos, a fisioterapeuta Andrea Formigoni e a atendente Bete Carcavalli.

Durante todo o campeonato, a ADCF Unimed disputou 25 jogos, com 23 vitórias e apenas duas derrotas. O índice de aproveitamento foi de 92%. O clube de Americana teve três premiações individuais nesta edição da LBF: a pivô Clarissa Santois foi a MVP (melhor jogadora) e a líder em rebotes e Antônio Carlos Vendramini foi o melhor técnico.

Os médicos Emerson Assis e Gustavo Andrade, presidente e diretor da Unimed local, e o empresário Alexandre Brochi, presidente da Vivo Sabor Alimentação, participaram da solenidade de premiação.

O basquete feminino da ADCF Unimed tem apoio da prefeitura de Americana, Unimed Santa Bárbara d´Oeste e Americana, Vivo Sabor Alimentação e Unicred Bandeirante.

Site oficial - www.adcf.com.br

domingo, 26 de abril de 2015

ADCF Unimed vence e mantem as chances do tricampeonato



Com apoio intenso da torcida, que lotou o Ginásio de Esportes Mario Antonucci, no complexo do Centro Cívico, a ADCF Unimed venceu o América-PE por 78 a 73 (parcial de 38 a 34), na manhã deste sábado (25), no segundo jogo do playoff final da LBF (Liga de Basquete Feminino). A equipe de Americana empatou a série melhor de 3 e manteve as chances de conquistar o tricampeonato nacional - já foi campeã nas temporadas 2011/12 e 2013/14.

As equipes voltam a se enfrentar segunda-feira (27), às 18h30, novamente no Centro Cívico, já que a ADCF Unimed tem direito de decidir em casa em razão da melhor campanha ao longo de todo o campeonato. O ganhador fica com o título da temporada 2014/15.

A partida de hoje foi marcada pela disputa em alto nível e pela emoção nos instantes finais. A ADCF Unimed manteve-se à frente do placar a maior parte do jogo e chegou a abrir 12 pontos de vantagem no primeiro tempo. O América recuperou-se e a 2 minutos do final do terceiro quarto passou pela primeira vez à frente, indo para o último período com a vantagem de 54 a 53.

A ADCF Unimed reassumiu a ponta logo no início do quarto final. O período foi eletrizante, com vantagem mínima no placar. Nos instantes finais, uma cesta de 3 pontos da lateral Palmira Marçal selou a vitória da equipe de Americana, para delírio dos torcedores.

A jogadora mais efetiva da ADCF Unimed foi a pivô Clarissa Santos, com 18 pontos, 14 rebotes e 6 assistências. Também tiveram números expressivos a lateral Ariadna Felipe (17 pontos e 4 assistências) e a pivô Damiris Dantas (13 pontos e 7 rebotes). O técnico Antônio Carlos Vendramini ressaltou a força do jogo coletivo de sua equipe.

sexta-feira, 24 de abril de 2015

São Bernardo estréia com vitória no Paulista Série A-2 Feminino

Notícias

 
Na tarde desta sexta-feira (24 de abril), a A.D.C. São Bernardo venceu a A.D.C. Bradesco, por 74 a 36 (30 a 18 no primeiro tempo), no CREC "Ubaldo Lago", na cidade de São Bernardo do Campo (SP), em duelo válido pelo turno do Campeonato Paulista Estadual Série A-2 Feminino, estreando com vitória na competição.
O campeonato prossegue no dia 01 de maio (sexta-feira), com a partida entre: A.D.C. São Bernardo X XV/Unimep/Amhpla/Selam, ás 16h00 (de Brasília), no CREC "Ubaldo Lago", na cidade de São Bernardo do Campo (SP).
 
Fonte: Rodrigo Favero Garcia - favero_garcia@hotmail.com

XV de Piracicaba vence na abertura do Paulista Série A-2 Feminino

Nesta quarta-feira (22 de abril), na abertura do Campeonato Paulista da Divisão Especial Série A-2 Feminina, o XV/Unimep/Amhpla/Selam venceu o SESI-SP, por 68 a 48 (30 a 18 no primeiro tempo), no Ginásio Municipal "Waldemar Blatkauskas", na cidade de Piracicaba (SP). A atleta Ana Paula Graciano Fernandes, da equipe piracicabana, foi a cestinha do jogo, com 19 pontos.
O campeonato prossegue nesta sexta-feira (24 de abril), com o confronto entre: A.D.C. São Bernardo X ADC Bradesco, ás 16h00 (de Brasília), no CREC "Ubaldo Lago", em São Bernardo do Campo (SP).
 
Fonte: Rodrigo Favero Garcia - favero_garcia@hotmail.com

Equipes fazem os últimos ajustes para o segundo jogo do playoff – final da LBF – 2014/15


Chuca Americana 300x280 Equipes fazem os últimos ajustes para o segundo jogo do playoff – final da LBF – 2014/15
A experiente Patrícia Chuca sabe que é tudo ou nada para a sua equipe neste segundo jogo final
O segundo jogo da série melhor-de-três do playoff – final da Liga de Basquete Feminino (LBF) – 2014/15 está se aproximando e os dois times finalistas – ADCF Unimed/Americana e Uninassau/América – estão trabalhando arduamente para buscar a vitória. O duelo de número dois acontece neste sábado (25 de outubro), às 10h00 (de Brasília), no ginásio Municipal Centro Cívico, em Americana (SP), com transmissão ao vivo pelos canais SporTV.
O time paulista, comandado pelo técnico Antônio Carlos Vendramini, precisa da vitória para igualar a disputa e seguir com chance de conquistar mais um título da LBF. “Vamos fazer o possível e impossível nesse segundo jogo, até porque só a vitória nos interessa, mantendo as nossas chances de conquistar o título”, relata Patrícia Chuca, da ADCF Unimed/Americana.
“Jogar com garra, vontade e coragem o tempo todo será o nosso objetivo nessa partida decisiva”, acrescenta a experiente ala.
Já o representante pernambucano, dirigido pelo técnico Roberto Dornelas, garante a inédita conquista com um novo resultado positivo. “Trabalhamos forte durante a semana para tentar diminuir os erros que cometemos no jogo passado, já que mesmo vencendo tivemos algumas falhas em precipitações de bola. Além disso, analisamos as jogadas do time de Americana para anularmos os pontos fortes e estamos bastante ansiosas para chegar o momento do jogo e colocarmos em quadra tudo o que treinamos, visando o título”, analisa Tainá Paixão, do Uninassau/América.
Taina America 300x200 Equipes fazem os últimos ajustes para o segundo jogo do playoff – final da LBF – 2014/15
A armadora Tainá Paixão destaca o trabalho da equipe nos treinamentos da equipe ao longo da semana
“Temos que entrar com responsabilidade, pois queremos ser o campeão da LBF nesta temporada. Vamos entrar forte, independendo se o nosso adversário está ou não invicto em casa nesta temporada”, completa a armadora do time de Pernambuco.
No jogo que abriu a série final, disputada em Recife (PE), o Uninassau/América fez valer o mando de quadra e venceu, por 74 a 67. Se necessário, o terceiro jogo ocorre na segunda-feira (27 de abril), às 19h00 (de Brasília), novamente em Americana (SP), com transmissão ao vivo pelos canais SporTV.
Fonte: LBF

Recra confirma mais dois reforços


Weber Sian / A Cidade

Restando menos de 10 dias para a estreia na Série A2 do Campeonato Paulista, o time de basquete feminino ribeirão-pretano da Recreativa/ABEC/SME confirmou a contratação de mais dois reforços para a temporada 2015: as alas Sheila, ex-XV de Piracicaba, e Ana Carla, ex-São Caetano. A atletas já foram integradas ao elenco e deverão estar à disposição do técnico Márcio Marolo para o jogo de abertura diante do Classista, no próximo dia 2 de maio, no Ginásio Ignácio Luiz Pinto, em Ribeirão.

A equipe ribeirão-pretana já havia contratado a lateral Nathalia, destaque do XV de Piracicaba na última temporada.

Além da dupla, o time comandado por Márcio Marolo acertou a renovação de contrato das armadoras Aruzha e Ariane, das laterais Camila Jackson e Jennifer Sirtoli, e da pivô Issy.

No próximo domingo (26), a Recra fará a sua estreia na Liga Regional diante do Franca, às 11h, fora de casa. A partida serve para dar ritmo de jogo à equipe visando a estreia na Série A2 contra o Classista. “Esse jogo vai ser importante para dar ritmo e conjunto ao elenco, nossa intenção era iniciar o trabalho mais cedo, mas infelizmente não foi possível”, explicou Marolo.

Com o elenco enxuto - o grupo da Recra conta com oito jogadoras - e sem verba para viabilizar a chegada de novos reforços, Marolo prevê uma temporada bastante complicada para o time ribeirão-pretano.

“Nós estamos mantendo a equipe para não acabar. A condição que está sendo dada é mínima, vamos participar, é impossível falar em conquistas neste momento”, comentou o treinador. Além da Série A2 e da Liga Regional, a Recra também disputará os Jogos Regionais e os Jogos Abertos.

Fonte: Jornal A Cidade

terça-feira, 21 de abril de 2015

Com Roseli, Araraquara disputa Liga ARBRP





 Neste último domingo a equipe de basquete feminino de Araraquara, IRG/Fundesport Araraquara fez sua estreia na competição da Liga ARBRP/REVELAR, jogando no Ginásio da Pista a equipe que conta com a volta do técnico André Carrascoza e com a presença da campeã mundial Roseli Gustavo nas quadras, venceu a equipe de Matão por 60x47, com destaques para Priscila Abreu 15 pontos e Jacqueline Rosseti 14 pontos.

 A equipe que está no grupo 2 da competição adulta ainda enfrentará nesta primeira fase as equipes de Franca e Passos. O próximo compromisso é na cidade de Passos(MG) dia 17/5. 

A equipe mantida pela Fundesport conta com o apoio da academia Infinty Fitness para os treinamentos.

Jogaram pela equipe Araraquarense as atletas - Priscila, Jacqueline, Fabiana, Maria Paula, Dara, Daiana, Júlia, Verônica, Nayra, Roseli, Ana Paula e Leda.

Basquetebol feminino do XV inicia participação no Campeonato Paulista

Equipe piracicabana recebe o Sesi, nesta quarta, às 20h30, no Ginásio Municipal




A equipe de basquetebol adulto feminino do XV/Unimep/Amhpla/Selam entra em quadra nesta quarta-feira, dia 22 de abril, para a estréia no Campeonato Estadual da Divisão Especial Série A-2 Feminina. O adversário será o Sesi/SP, a partida tem entrada franca e começa às 20h30, no Ginásio Municipal de Esportes “Waldemar Blatkauskas”, em Piracicaba.

O elenco piracicabano do técnico Ariel Rodrigues treina forte desde o início da temporada e está confiante para uma boa estreia diante de sua torcida.

A atleta Ana Paula Graciano Fernandes (ala), de 1,75m que é natural de Piracicaba disse que o grupo está animado e ansioso para iniciar os desafios da temporada. “Estamos no ritmo forte dos treinos deste o início do ano e isso dá confiança na preparação para uma boa estreia e a conquista do resultado positivo.”
O técnico da equipe quinzista, Ariel Rodrigues, acredita no potencial da equipe, que tem a vantagem de estrear em casa. “A primeira partida é sempre complicada, mas estamos unidos e o objetivo é vencer para começar bem o campeonato.” – disse Ariel.
A equipe de basquetebol adulto feminino do XV/Unimep/Amhpla/Selam participa do Campeonato Estadual da Divisão Especial Série A-2 Feminina com as seguintes atletas: Kiara de Oliveira Soares (armadora/lateral), Jady Caroline Esteves de Sousa (armadora), Brenda Stephany Sousa Barboza (lateral/pivô), Raphaela Pompeo Christofoletti (lateral), Ana Paula Graciano Fernandes (ala), Ana Thais Matos Limoeiro (armadora), Fernanda Caroline Pinheiro Lú (pivô) e Carolina Nunes da Costa (ala/pivô). O técnico é Ariel Rodrigues e Marcus Vinicius Mendes da Silveira (assistente técnico).

Após a estreia em seus domínios, o elenco comandado pelo técnico Ariel Rodrigues viaja até a cidade de São Bernardo do Campo, onde enfrenta a equipe da casa no dia 01 de maio, às 16h, no CREC “Ubaldo Lago, o Baetinha”.

A terceira partida da equipe piracicabana pelo Campeonato Estadual da Divisão Especial Série A-2 Feminina, acontece no dia 13 de maio, às 19h, jogando contra o ADC/Bradesco, no Centro de Desenvolvimento Esportivo ADC Bradesco, em Osasco.

Em sua quarta participação pela fase classificatória da competição estadual, o elenco quinzista enfrenta o Divino/Jundiaí, na casa do adversário, dia 09 de junho, às 19h, no CECE “Dr. Romão de Souza”, em Jundiaí.

A equipe piracicabana volta a atuar em seus domínios em duas apresentações, dia 19 de junho diante da Recra/ABEC/SME e no dia 26 de junho contra o Internacional/Fupes, de Santos. As duas partidas estão marcadas às 20h30 e acontecem no Ginásio de Esportes do Clube de Campo de Piracicaba, com entrada franca.


Tabela da Fase Classificatória


Dia 22 de abril – 20h30 - XV/Unimep/Amhpla/Selam x Sesi/São Paulo
Local: Ginásio Municipal de Esportes “Waldemar Blatkauskas”, em Piracicaba.

Dia 01 de maio – 16h – São Bernardo do Campo x XV/Unimep/Amhpla/Selam
Local: CREC “Ubaldo Lago, o Baetinha”, São Bernardo do Campo.

Dia 13 de maio – 19h - ADC/Bradesco x XV/Unimep/Amhpla/Selam
Local: Centro de Desenvolvimento Esportivo ADC Bradesco, em Osasco.

Dia 09 de junho – 19h - Divino/Jundiaí x XV/Unimep/Amhpla/Selam
Local: CECE “Dr. Romão de Souza”, em Jundiaí.

Dia 19 de junho – 20h30 - XV/Unimep/Amhpla/Selam  x Recra/ABEC/SME
Local: Ginásio de Esportes do Clube de Campo de Piracicaba.

Dia 26 de junho – 20h30 - XV/Unimep/Amhpla/Selam x Internacional/Fupes/Santos
Local: Ginásio de Esportes do Clube de Campo de Piracicaba, com entrada franca.


Patrocinadores equipe feminina:
- Amhpla Cooperativa de Assistência Médica
Unimep, Universidade Metodista de Piracicaba
- Selam, Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Atividades Motoras
Apoiadores equipe feminina:
- Água Mineral Uba
- Bio Ritmo Academia
- Farmapira Ltda - ME
- Lavanderia Santa Clara
- Neurônio Adicional Web Marketing
- Rotisserie Dona Luiza

sábado, 18 de abril de 2015

Vídeos: USK Praha (CZE) é campeão da Euroliga Feminina e Villeneuve (FRA) da Eurocopa Feminina



Claudinha é homenageada em torneio escolar

Cidinha (Foto: Antonio Marcos)

Medalha de bronze nas Olimpíadas de Sydney, na Austrália, em 2000, Claudia Maria das Neves, a Claudinha, foi homenageada na rodada deste sábado, da Copa TV Tribuna de Basquete Escolar, realizada no ginásio do Rebouças, em Santos. Natural de Guarujá, a ex-armadora da seleção brasileira falou da importância do torneio estudantil e das chances do basquete nacional nas olimpíadas do Rio-2016.

– Na minha época de estudante nós tínhamos os Jogos Escolares, mas não existia a cobertura da mídia. Entendo que a divulgação da modalidade é um incentivo a mais para esses meninos e meninas se interessarem pelo basquete –afirma Claudinha, que atualmente trabalha com projetos sociais em Guarujá.

Sobre a homenagem do programa Corpo em Ação da TV Tribuna, afiliada da Rede Globo na Baixada Santista e Vale do Ribeira, Claudinha lembra o início no esporte e fala do orgulho de poder ter levado o nome da sua cidade natal para diversos cantos do mundo.

– Muito feliz pela lembrança, pois quando jogava fazia questão de dizer que era atleta da Baixada Santista e tinha muito orgulho disso. Sou de Guarujá, minha família é do litoral e adoro nossa região – agradece a ex-atleta, que foi revelada no Vila Souza, clube de Guarujá.

Claudinha fala também das chances do basquete brasileiro nos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016. Ela, que atuou em clubes da Europa e na liga norte americana, a WNBA, fala da evolução do basquete masculino e das possibilidades da Seleção feminina.

– Não basta termos atletas atuando na NBA, temos que ter uma liga nacional forte e isso está acontecendo no masculino com o NBB. Acredito que temos chance de pódio por conta da qualidade dos atletas e pelo fortalecimento da liga nacional. No feminino, com muito esforço, entendo que podemos chegar entre as seis melhores equipes, pois ainda temos que trabalhar melhor a LBF e a Seleção passa por reformulação – finaliza Claudinha.

Fonte: Globoesporte.com

Com Adrianinha precisa, América bate Americana e abre 1 x 0 na final da LBF

Veterana armadora marca duas cestas de três no fim do jogo e garante vitória em Recife por 74 a 67. América fica com o título se vencer próxima partida em Americana






O América saiu na frente na decisão da Liga de Basquete Feminino 2014/2015 ao derrotar o Americana por 74 a 67 (30 a 29 no primeiro tempo), neste sábado, no ginásio Wilson Campos, em Recife. Estreante na competição, a equipe pernambucana pode ser campeã no proximo sábado se vencer a segunda partida, desta vez em Americana. Às atuais campeãs só interessa a vitória para forçar o terceiro jogo, também no interior de São Paulo.


Érika final LBF América Americana (Foto:  Robson Neves/Divulgação)Érika invade o garrfão de Americana na primeira partida da final da LBF (Foto: Robson Neves/Divulgação)
Tiffany foi a cestinha da partida com 20 pontos, superando sua média de 17 por jogo. A veterana armadora Adrianinha, de 36 anos, marcou 16 e foi importante para conter a reação do Americana no final da partida. O  técnico Roberto Dornelas montou no América um trabalho defensivo suficiente para neutralizar as principais jogadoras adversárias. As pivôs Erika e Clarissa travaram um bom duelo no garrafão. A primeira apanhou 11 rebotes e marcou 13 pontos pelo América, contra 13 rebotes e 12 pontos da adversária. Duplo-duplo para as duas.  


Tiffany América x Ameriana, final da LBF (Foto: Robson Neves/Divulgação)Cestinha do jogo, Tiffany parte para a cesta na final entre América e Ameriana (Foto: Robson Neves/Divulgação)


- O jogo foi como esperávamos, já que o representante de Americana é um grande time e sabemos que a série vai seguir com esta mesma emoção na sequencia da série. Mas, vamos ao segundo jogo para trazer a taça a Pernambuco - disse Dornelas.

O início da partida foi marcado por erros de passes e arremessos dos dois lados causadas pelo nervosismo. O time da casa, apoiado pela torcida, melhorou na defesa e terminou o primeiro quarto em vantagem de 18 a 12. Mais tranquilas, as equipes diminuíram o rítmo no período seguinte. O América passou e errar mais e foi superada na parcial por 17 a 12, indo para o intervalo com vantagem de 30 a 29. Os times voltaram para a quadra com os ataques mais afiados. Depois de um início melhor de Americana, as anfitriãs dominaram o garrafão e repetiram a parcial do primeiro quarto - 18 a 12. 


O América abriu 10 pontos logo nos primeiros movimentos do último quarto - 55 a 45. Sem poder de infiltração, o Americana tentava reagir na base das bolas de três. Faltando 1min57, o time comandado por Antonio Carlos Vendramini diminuiu a diferença para quatro pontos: 66 a 62. Mas duas cestas de três de Adrianinha a 1 minuto do fim esfriaram de vez a reação do Americana. 
- Esta foi uma festa bonita, pois todo mundo compareceu e a nossa equipe está de parabéns pela luta e pelo desempenho neste primeiro jogo - disse Adrianinha.

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Equipe de Uberaba pode disputar a Liga Nacional de Basquete feminino

Uberaba pode ter equipe de alto rendimento representando a cidade em competição nacional, ainda neste ano. Trata-se da equipe de basquete feminino do Jockey Club na Liga Nacional de Basquete. E isso está bem próximo de acontecer. Como o estado de Minas Gerais não possui representantes na principal liga da modalidade, a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Smel) está negociando com a Federação Mineira de Basquete (FMF) para que Uberaba tenha uma equipe na competição nacional.

Segundo Mário Fernando de Oliveira Neto, o Marão, diretor do Departamento de Esporte da Smel, na quarta-feira (22) haverá uma reunião entre os representantes de Uberaba e o presidente da FMB, Álvaro Cotta Teixeira da Costa. “Vamos apresentar ao presidente da Federação, o projeto para Uberaba voltar a disputar a Liga Nacional ainda esse ano, para a temporada 2015/2016. A nossa ideia principal é resgatar o basquete profissional, de alto nível, em Uberaba”, explicou Marão.

Se de fato entrar na competição, não será a primeira vez de Uberaba. A última participação foi em 2008. E desde essa data, Minas não teve nenhum representante disputando, segundo Marão. “Esperamos que a Federação seja nossa parceira. Fomos o único time do Estado a jogar o campeonato brasileiro. É grande a chance de o time voltar. Estamos mobilizando os empresários para apoiar o projeto, que abrange também o Triângulo Mineiro”, disse o diretor.

Além de estar à frente da negociação, a Smel dará todo suporte e estrutura para a nova representante de Uberaba. “Tivemos um passado brilhante no basquete feminino, e vamos retomar esse projeto que teve extrema importância no cenário esportivo de Uberaba. A Secretaria não irá poupar esforços para revitalizar o esporte de alto rendimento na nossa cidade, pois este também é um desejo do prefeito Paulo Piau”, disse o secretário de Esporte, Luiz Alberto Medina.

Fonte: Jornal da Manhã

terça-feira, 14 de abril de 2015

Após queda na LBF, Sport Recife planeja para tentar o bi-campeonato sulamericano.



O Sport contratou a ala Mariana (29 anos e 1,79m), e a ala-pivô Silvinha, (32 anos e 

1,85m) para a disputa do Campeonato Sul-Americano. As duas foram destaque na equipe 

(LBF). Elas são as primeiras contratações do grupo que está sendo reformulado para a 

disputa da competição continental  – que terá a primeira fase realizada em junho.


Ambas disputaram todas as 20 partidas de Venceslau na temporada. Mariana teve médias 

de 34 minutos e 13,7 pontos por jogo. Já Silvinha atuou em média por partida 32 minutos, 

marcando 11 pontos.


SPORT




“Já vínhamos monitorando elas através do rendimento na Liga. Foram os dois destaques 

da equipe. São jogadoras que têm perfil pro nosso estilo de jogo. Nossa equipe vai ser 

outra”, afirmou o técnico do Sport, Rildo Accioly.

Do elenco que disputou a LBF e também caiu nas quartas, o objetivo do Leão é manter

pelo menos duas jogadoras brasileiras. Das norte-americanas, a armadora Erica Wheeler é

a que interessa. “Ela tem a possibilidade de jogar a WNBA, então estamos esperando. Se 

não acontecer, tentaremos fazer com que volte.”

Segundo o técnico rubro-negro, há um leque grande de jogadoras estrangeiras à 

disposição. Por conta disso, o foco maior é contratar as brasileiras certas. “Estamos 

precisando fechar com mais duas ou três atletas brasileiras fora as estrangeiras. Além 

disso, teremos o retorno de uma ou duas do grupo.”




Fonte: www.http://jconlineblogs.ne10.uol.com.br/